22 de Fevereiro de 2018
Cabeceiras de Basto | 10-09-2015
Por: Redacção
In Memoriam: Comendador Eng. José Azeredo Fernandes Basto (1928-2015)
Comendador Eng. José Azeredo Fernandes Basto
Faleceu no passado dia 27 de Julho aos 87 anos o distinto cidadão “cabeceirense” Eng. José Azeredo Fernandes Basto, ex. Coronel do Exército e Comendador da Ordem Militar de Avis, distinção atribuída pelo Presidente da República, General Ramalho Eanes no dia 24 de Outubro de 1980.

Licenciado em Engenharia Civil e Eletrotecnia, José Basto distinguiu-se como um técnico extremamente competente que prestou grandes serviços ao país. Amigo pessoal, colaborador e “braço direito” do Eng. Edgar Cardoso, (que entre outras obras públicas de referência, projetou a Ponte da Arrábida sobre o Rio Douro), José Basto, a convite do amigo, entrou para o seu gabinete em 1977 e aí permaneceu durante 12 anos, altura em que se fixou definitivamente na sua casa de família no Souto Longal em Cabeceiras de Basto, continuando a trabalhar na elaboração e conceção de projetos.
Integrado na equipa do Professor Edgar Cardoso, José Basto teve um papel decisivo na realização de dezenas de projetos e no acompanhamento das obras, entre as quais a Ponte sobre o rio Lima (que liga Viana do Castelo a Ponte de Lima) Ponte de Macau e ligação à Ilha da Taipa, Aeroporto do Funchal, Ponte da Figueira da Foz , entre outras. O amigo, Engenheiro e colega de equipa Aristides Fernandes, recorda-o no “facebook” como  “um profissional que trouxe à nossa equipa inovação, materializada na resolução de problemas, através de aparelhagem eletrónica, que pelos anos oitenta começaram a surgir e que foram sendo adaptadas pelo Professor, como meio de diagnóstico mais seguro na avaliação do comportamento das estruturas, matéria em que o Engenheiro José Basto veio demonstrar o seu domínio nessas técnicas imergentes que, em conjunto com a sua natural intuição de Engenheiro, produziu um trabalho notável que não só contribuiu para a valorização da imagem do nosso Escritório, dentro e fora do País, como de toda a equipa. Intuição, competência e bagagem científica, reveladora de uma sólida experiência que terá na sua génese a brilhante carreira de engenheiro militar”.
O projeto de edificação da Ponte de S. João, infraestrutura ferroviária que liga o Porto a Gaia e inaugurada em 1991, da autoria de Edgar Cardoso, teve também uma contribuição importante e decisiva do Eng. José Fernandes Basto. No entanto, a vida de José Fernandes Basto dava um filme.
Nasce em 1928 , sendo neto do Barão de Basto e filho de Frederico Fernandes Basto, filho primogénito do Barão de Basto, personagem que inspirou a obra prima com o mesmo nome  do escritor Branquinho da Fonseca. José Basto, haveria de ingressar muito novo no Colégio Militar, tendo-se destacado como um dos melhores alunos da instituição. Foi coronel do Exercito Português, dinâmico, decidido e empreendedor tendo pilotado aviões e feito paraquedismo em Africa. em missões ultrassecretas. Antes de 1974, esteve sete anos em Macau como Presidente do Leal Senado e Diretor das obras Públicas daquele território, então sob administração Portuguesa, em representação civil, condição que impôs para a nomeação, porque diz quem o conheceu, “ por opção manteve-se sempre longe da atividade política, que não o seduzia, pois era sobretudo um técnico e um militar”. Quando voltou de Macau, ainda antes do 25 de Abril, foi comandante de armas e transmissões no Quartel da Graça em Lisboa, tendo seguido para Angola como segundo comandante e depois para Moçambique, onde comandou operações em Nampula , com o general Neto. No seu tempo, foi o Coronel mais novo do Exército Português. O 25 de Abril de 1974 ocorre quando se encontra em Moçambique e regressa ao continente onde se mantém em Lisboa, no Quartel da Graça e posteriormente no Quartel de Arca de Água, dando aulas, até que surge o convite do amigo Edgar Cardoso.
Conheci e privei com o Eng. José Fernandes Basto quando cheguei à Câmara como Vereador responsável pelo Pelouro dos Fundos Comunitários em 1995, altura em que deparámos com um projeto aprovado pela Câmara anterior, presidida pelo Senhor Mário Campilho, no valor de cerca de 30 mil contos (150 mil euros), verba financiada pelo Programa Leader, destinada à revitalização dos Jardins da Praça da República no centro da vila, projeto que teve importante aconselhamento e acompanhamento técnico por parte do gabinete do Eng. José Basto. Tratou-se efetivamente de um momento feliz na História democrática de Cabeceiras, porque a discussão sobre a forma como se deveria processar a intervenção nos jardins da Praça da República, foi amplamente participada por vários setores da sociedade cabeceirense. Depois, lembro-me também da solução encontrada para a Praia Fluvial do Poço do Frade em Refojos, um projeto muito interessante que contou com a inclusão da Ponte em Madeira sobre o Rio Peio, infraestrutura que teve acompanhamento técnico do Eng. José Basto. O acompanhamento técnico da construção do Lar da Santa Casa da Misericórdia e o Edifício da Segurança Social em Braga, foram projetos que lhe deram “uma imensa satisfação”. E por isso, julgo que o concelho de Cabeceiras de Basto se deve orgulhar de um cidadão íntegro, exemplar e que foi um notável engenheiro civil e projetista, cuja ação contribuiu muito para o desenvolvimento desta terra. A toda a sua família e em particular à Maria Teresa Basto, que gentilmente me facultou dados sobre o percurso de vida do avô e ao meu amigo Eng. António Basto, dirigente da adbasto e colaborador deste jornal, envio um forte abraço de solidariedade e os meus mais sentidos e sinceros pêsames. Que a sua alma descanse em paz!
Miguel Teixeira

Nota da Direção da adbasto


Os órgãos sociais da adbasto (Direção, mesa da Assembleia Geral e Conselho Fiscal), a Direção do Jornal “O Basto” e o Conselho de Administração deste órgão de comunicação social, ao tomarem conhecimento do falecimento do Comendador Eng. José Azeredo Fernandes Basto, vêm por este meio, manifestar ao nosso amigo e vice-presidente da mesa da assembleia geral desta instituição, Eng. António Basto, bem como a toda a sua família, os mais sentidos e sinceros pêsames pelo “desaparecimento” do seu pai.
Mais reconhece, que o falecimento de tão ilustre cidadão cabeceirense, homem simples e culto, notável projetista e engenheiro civil , constitui uma perda para o concelho e para o país. O Comendador Eng. José Fernandes Basto deixou a sua marca no acompanhamento técnico de vários projetos neste concelho e em várias infraestruturas, de que se destacam a revitalização dos jardins da Praça da República, em 1995, a Praia Fluvial do Poço do Frade em Refojos, bem como o acompanhamento do Lar da Santa Casa da Misericórdia de S. Miguel de Refojos (Dr. Manuel Fraga).
Que a sua alma descanse em paz.

O Presidente da Direção da adbasto
Marco Gomes

Achou esta notícia interessante?
Comentários (0)




Anónimo:



opinião demarcada
Vídeo em Destaque
Este vídeo foi apresentado no oitavo aniversário da adbasto (Associação de Desenvolvimento Técnico-Profissional das Terras de Basto), e conta, visual e oralmente, a história desta associação.
Notícias
  • Últimas
  • + lidas
  • + comentadas
  • + votadas
edição impressa