24 de Fevereiro de 2018
Mondim de Basto | 04-09-2014
Por: Redacção
Mondinense é embaixador de iniciativa europeia
Bruno Ferreira foi o português escolhido para embaixador da iniciativa Code Week.
O mondinense Bruno Ferreira foi o português escolhido para ser o embaixador da iniciativa Code Week EU (Semana Europeia da Programação), que se irá realizar entre os dias 11 a 17 de Outubro, em simultâneo por toda a Europa.

Foi uma escolha natural tendo em conta o trabalho desenvolvido, de forma voluntária, como jovem consultor da Comissão Europeia para a Agenda Digital para a Europa, em colaboração direta com a Vice-Presidente da Comissão Europeia, Neelie Kroes. Esta iniciativa, que vai na segunda edição, pretende envolver milhões de crianças, pais, professores, empresários e decisores políticos em eventos relacionados com a aprendizagem da programação. A ideia é dar mais visibilidade à programação, desmistificar as competências neste domínio e motivar mais pessoas a experimentar e a aprender a programar. A primeira Semana da Programação da UE teve lugar em Novembro de 2013, contou com mais de 300 eventos e envolveu mais de 10.000 pessoas em 26 países europeus. A iniciativa tem o apoio da Comissão Europeia, através da DG Connect, e tem recebido o suporte de movimentos como o "CoderDojo" e "Rails Girls" e de empresas ligadas à tecnologia e inovação como Rovio, Microsoft, Telefonica, Liberty Global, Google e Facebook.

A União Europeia sabe que as competências de programação são fundamentais para que o continente não fique para trás na rota da inovação científica a nível mundial. A promoção das competências informáticas na Europa é também uma das estratégias para resolver um dos maiores desafios da Europa: o desemprego juvenil. O número de empregos que exigem competências digitais continua a aumentar enquanto o número de estudantes, em toda a Europa, com a formação em ciência da computação está estagnado.

Como é que a Semana Europeia da Programação é organizada?
Em cada país existe um ou mais Embaixadores da UE que ajudam a promover a visão da iniciativa e conectar comunidades de codificação e agentes locais interessados. Os Eventos da Semana Europeia da Programação da UE são organizadas localmente e publicados num mapa do site da iniciativa (www.codeweek.eu). O mapa mostra onde se vai realizar o evento de programação mais próximo. Para participar num evento basta entrar em contato com o organizador do evento local. Programação no currículo escolar Alguns países europeus começam a introduzir o ensino da programação no currículo escolar. O Reino Unido é o único país que tem a programação como disciplina obrigatória no currículo escolar nacional. O currículo finlandês vai incluir a programação em 2016 para todos os grupos etários. A Estónia e o Governo Regional da Catalunha já oferecem a programação como uma opção para os níveis primário e secundário. A França anunciou a introdução de um curso opcional de codificação em escolas primárias e a Itália está a considerar introduzir iniciativas de codificação para os jovens. O próprio plano de ação da Comissão Europeia 'Opening up Education', visa estimular a inovação e as competências digitais nas escolas e universidades.

Por que é que a programação é importante?
Cada interação entre humanos e computadores é regida por código. Codificação é a alfabetização de hoje e ajuda a colocar em pratica as competências do século 21, como a resolução de problemas, trabalho em equipa e pensamento analítico. A programação está em todo o lado e é fundamental para a compreensão de um mundo cada vez mais hiperconectado. A Tecnologia molda as nossas vidas em todos os sentidos, mas na verdade estamos a deixar que apenas uma minoria possa decidir o que, e como, podemos usá-la. O ser humano é capaz de fazer mais do que apenas partilhar e gostar de coisas. Há uma diferença entre ser criativo e consumidor de conteúdo digital. As competências básicas de programação serão necessárias, num futuro próximo para a maioria dos postos de trabalho. Atualmente mais de 90% das ocupações profissionais requerem alguma competência com as Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC). Além disso, profissionais de TIC são um pilar fundamental das profissões modernas em todos os setores da economia europeia, com um crescimento anual de procura de profissionais de 3%. Este crescimento não está a ser acompanhado com o número de pessoas formadas em ciências da computação. Como resultado, muitas das vagas abertas para profissionais das TIC não serão preenchidas, apesar do elevado nível de desemprego na Europa. Se esta questão não se resolver de forma adequada a nível europeu e nacional, a Europa pode enfrentar em 2020 uma falta de até 900 mil profissionais das TIC.
A participação das mulheres na escolha de carreiras técnicas é também um motivo de preocupação. O ensino da programação deve ser encarado como uma forma de promoção da igualdade de género na escolha de carreiras profissionais na área tecnológica.

Achou esta notícia interessante?
Comentários (1)
Anónimo disse

Parabéns


21 de Outubro de 2014 15:39








Anónimo:



opinião demarcada
Vídeo em Destaque
Este vídeo foi apresentado no oitavo aniversário da adbasto (Associação de Desenvolvimento Técnico-Profissional das Terras de Basto), e conta, visual e oralmente, a história desta associação.
Notícias
  • Últimas
  • + lidas
  • + comentadas
  • + votadas
edição impressa