24 de Fevereiro de 2018
Terras de Basto | 19-05-2014
Por: Redacção
Quanto importa e exporta cada município da Região de Basto?
Quanto importa e exporta cada município da Região de Basto?
Celorico tem a maior balança comercial, Ribeira de pena o saldo mais positivo, Mondim o pior.

Num trabalho inédito, o jornal "Negócios" reuniu dados do INE e mostrou quanto importa e quanto exporta cada município português. Na Região de Basto, por ordem de volume de transações económicas, o município de Celorico de Basto apresenta o maior valor, seguido de Cabeceiras de Basto, Ribeira de Pena e Mondim de Basto.

O município de Celorico de Basto apresenta um valor de importações de 5.998.678 euros e de exportações 6.099.886 euros. Este dinamismo económico deve-se em grande parte à fixação de indústrias ligadas ao sector têxtil e do calçado que têm experimentado um aumento considerável no volume de transações económicas nos últimos anos. Em segundo lugar na região de Basto, encontra-se o município de Cabeceiras de Basto. Este tem um volume de transações substancialmente menor do que o concelho vizinho de Celorico, apresentando um valor de importações de 1.581.305 euros e de exportações de 1.475.432 euros. Em terceiro lugar está Ribeira de Pena com um valor de importações de 861.175 euros e de exportações de 1.066.898 euros. Por fim, aparece o município de Mondim de Basto com um valor de importações de 447.986 euros e de exportações de 148.263 euros.

Ribeira de Pena apresenta tem o melhor saldo comercial de Basto

Considerando que a diferença entre o que se importa e o que se exporta representa o saldo da balança comercial, Ribeira de Pena é o concelho de Basto que apresenta, neste indicador, o melhor resultado. Assim, segundo os números publicados pelo jornal "Negócios", Ribeira de Pena apresenta um superavit comercial de mais de 200 mil euros, ou seja, exporta mais 200 mil euros do que aquilo que importa. Em segundo lugar aparece Celorico de Basto, com um saldo comercial positivo na ordem dos 100 mil euros. Os outros dois municípios de Basto, pelo contrário, apresentam um saldo comercial negativo, ou seja, importam mais do que exportam. Cabeceiras de Basto apresenta um défice comercial de mais de 100 mil euros. Com um pior desempenho o município de Mondim de Basto que apresenta um défice comercial de cerca de 300 mil euros.

Obviamente que estamos analisar e a comparar municípios com realidades diferentes. Assim, comparemos com um rácio, ou seja, com a taxa de cobertura das importações pelas exportações. É uma medida entre a relação entre o valor exportado e o valor importado, fornecendo uma informação aproximada ao indicador «saldo da balança comercial». É obtida pelo rácio entre exportações e importações. A taxa de cobertura das importações pelas exportações mede a relação entre as exportações e importações. Assim, valores superiores a 100% denotam uma exportação superior à importação ou um saldo comercial positivo. Nesta situação, o município de Ribeira de Pena apresenta uma taxa de cobertura das importações pelas exportações de 123%, Celorico de Basto de 101%, Cabeceiras de Basto de 93% e Mondim de Basto de 33% (o valor de exportações representa apenas 33% do valor das importações).

Mondim de Basto foi o sexto município português a registar a maior quebra no volume de exportações


A queda percentual de exportações entre o período de 2003 e 2013 do volume de exportações no concelho de Mondim de Basto foi de 84,34%, consubstanciando-se no sexto município com a maior quebra no volume de exportações no período de dez anos estudado. Mondim de Basto passou de um valor das exportações de 946.762 euros em 2003 para 147.263 euros em 2013. 

Achou esta notícia interessante?
Comentários (1)
Anónimo disse

Mondim só pensa em festas e festarolas...... viva o vinho...... dentro do bucho.


27 de Junho de 2014 16:59








Anónimo:



opinião demarcada
Vídeo em Destaque
Este vídeo foi apresentado no oitavo aniversário da adbasto (Associação de Desenvolvimento Técnico-Profissional das Terras de Basto), e conta, visual e oralmente, a história desta associação.
Notícias
  • Últimas
  • + lidas
  • + comentadas
  • + votadas
edição impressa